Pérolas ::Pinguinhodegente::

Hoje encontrei um pedaço de papel com uma anotação que fiz pra não esquecer e que quero compartilhar com vocês:

Foi no dia 19 de fevereiro deste ano (2017). Eu e o Cauê brincávamos de passar a bola um pro outro na varanda da casa da vó e do vô. Enquanto a gente se divertia e conversava ali naquele campinho de futebol de imaginação o moleque manda essa pérola:

– Pai, eu vou ser jogador de futebol. Tu vai me assistir na tv néh pai?

– Na tv Filho? O pai vai no campo, em TODOS os jogos só pra te ver jogar.

– Tá, mas pai…

– Não pode ficar mandando beijinho pai.

– Porque desconcentra o jogador pai…

E assim, faço dessas pérolas minha riqueza!

be happy 🙂 😉

 

salve 14 de outubro ::Pinguinho de Gente::

Oi filho,  todos os anos costumo escrever longos textos nesse dia especial. Hoje o texto é curtinho, resumido, mas não menos emocional e tocante pra mim. Já li mais de uma vez os textos dos anos anteriores com uma dose extra de boa nostalgia. Hoje eu quero agradecer pela felicidade e pelos sete anos transformadores, desafiadores e incríveis que me deu de presente desde que nos conhecemos. Eu espero mesmo, de coração que o tempo se encarregue de proporcionar bons motivos pra você sorrir.

Obrigado filho, por me fazer um cara tão feliz!

Parabéns. Feliz Aniversário.

Te Amo do tamanho do universo!

And Be Happy 🙂 😉

Colo é bom ::Pinguinhodegente::

Já fui acusado de  mimar demais, proteger demais ou dar colo demais ao Cauê. Viver plenamente a paternidade é o que eu procuro fazer, com erros e acertos é verdade, assim mesmo, feito você que não mima demais, feito você que não protege demais ou não dá colo demais. Quem sabe você, assim como eu,  também acredite que está educando e protegendo da melhor maneira. Então, vamos combinar: sem julgamentos, ok?  E mesmo assim, pensando diferente, no futuro um mesmo sentimento vai inevitavelmente igualar todos nós: a saudade dos filhos pequenos. Eu quero contribuir pra que essa lembrança seja leve, cheia de bons motivos pra sorrir (ou chorar de felicidade)…e colo, muuuuito colo!

E você?

Be happy 🙂 😉

Ai, ai…ui..ui…::Pinguinhodegente::

Cheguei na escola pra pegar meu filho, enquanto o procurava com o olhar ele  veio ao meu encontro e antes mesmo que eu pudesse abraçar falou:

– Pai, eu tenho uma coisa pra te contar.

Não parecia uma boa notícia, sempre vem empolgado e sorridente pra contar uma novidade.

– Pai, aconteceu uma coisa.

O tom de lamento me pareceu um pedido de desculpas, era como se algo que a gente tinha combinado não tivesse sido cumprido. Cheguei perto, me abaixei pra ele se sentir mais confiante pra falar.

Olhando pra mim, ele levantou a bermuda acima dos joelhos e… Ai! Os dois joelhos estavam ralados.

– Eu caí pai, escorreguei e caí…

De fato a gente tinha combinado dele brincar pelo pátio da escola com cuidado pra evitar de se machucar mas,  ele tem apenas seis anos e toda energia da idade, tudo que ele quer é pular, correr, se divertir. Não vou cometer a injustiça de conter isso. Aconteceu, deu aperto no coração mas não foi nada grave. Deu vontade de rir, ufah era só isso! Me contive, acolhi sem valorizar demais a situação.

– Pôxa filho, como foi isso? Tava correndo com os amigos néh? Faz parte, agora tem que ser corajoso.

– Tá doendo?

– Não, tá só ardendo pai.

(kkkkk…vontade de rir de novo)

– Ok, o pai sabe que dói um pouco. Tá ardendo mas vai passar, chegando em casa a gente limpa e passa remédio.

Em situações assim nunca menti, nada de mi, mi, mi… se vai doer digo que vai doer, mas explico que vai passar e que vou estar perto pra ajudar a passar logo.

Os joelhos ralados passariam ainda por mais dois testes de coragem: o banho e o Merthiolate). Nada que grandes doses de carinho não ajude a distrair. Como diz a sabedoria popular:

“O que arde cura, o que aperta segura”

A gente rala muito ao longo da vida, por hora, que sejam apenas os joelhos.

be happy 🙂 😉

 

Tô ficando véio, ops! idoso ::Pinguinhodegente::

Sem-Título-1

Outro dia eu estava com o Cauê na beira de um campinho de futebol (no Parque de Coqueiros, aqui na parte continental de Floripa) esperando vaga pra ele jogar. Entre meninos e meninas na faixa de 6 anos, tinha um senhor, diria um “jovem senhor” (feito eu, quarenta e tantos anos), jogando empolgadíssimo com as crianças.  O Cauê ali esperando impaciente manda o seguinte comentário:

– Pai aquele idoso pensa que ainda é criança?

– Idoso filho? Por que pensa que ele é idoso?

– O cabelo dele é branco pai e idoso tem cabelo branco.

Me defendi (pra defender os MEUS cabelos brancos):

– Ah tá, então eu sou idoso também?

– Tu não pai. Tu é só um pouco idoso, não é muito idoso (em tom de consolo pra eu não magoar).

– kkkkk…hummm…sei.

A conversa continuou e tentei explicar pra ele que a idade não importa muito quando a gente tá feliz, se divertindo e etc…etc… (Aquele papo de pai).

O que ele queria mesmo era só a vaga pra poder jogar e nessa hora vale até desqualificar o adversário kkk

be happy 🙂 😉

 

Curiosidade aviônica ::Pinguinhodegente::

A prima foi viajar nas férias e nós fomos até o aeroporto pra nos despedir. Na pista, enquanto a gente esperava a decolagem, em outro avião (ou aeronave, como preferir) um povo desembarcava. Ele ficou olhando com aquela cara de menino curioso e lascou a seguinte pergunta:

– Pai, por que tem gente que desce pela frente e tem gente que desce por trás?

– Pra ser mais rápido, filho. Quem está na frente desce pela frente e o pessoal de trás tá saindo lá atrás.

Fez cara que entendeu, balançou a cabeça que sim, olhou mais um pouco e disparou:

– E quem senta no meio pai? Sai por onde?